Meia Maratona de Lisboa

Meia Maratona de Lisboa

O percurso tem como ex-líbris a passagem da Ponte 25 de Abril. Em termos competitivos, o percurso é plano e bastante rápido. A Partida está instalada junto às portagens da ponte e a Meta em frente ao Mosteiro dos Jerónimos. A conquista do título Gold Road Race confirma que a Meia Maratona de Lisboa é uma das mais atractivas do mundo.

A Meia Maratona de Lisboa nasceu da vontade de um pequeno grupo de pessoas de ver Lisboa invadida por gente anónima que, atravessando a Ponte 25 de Abril, poderia descobrir e desfrutar de forma totalmente diferente de locais que habitualmente são monopólio dos automóveis. Um desafio imenso para a época.

Foi à mesa de um restaurante, olhando a grande ponte, imponente na sua estrutura de aço e com os seus gigantes pés a mergulhar no Tejo, que a ideia surge na cabeça de Carlos Móia.

Lá fora já se fazia, mas em Portugal, ainda um país de hábitos conservadores, o desafio teria de vencer muitas barreiras. “Recordo que havia a ideia de que atravessar a ponte a pé era perigoso. O assunto tinha de ir ao governo, percebi logo que o caminho burocrático ia ser longo e demorado. Falei com Francisco Lucas Pires, meu amigo, companheiro de outras aventuras e sabedor de que caminhos devia seguir para levar por diante esta ‘louca’ ideia. Agendou uma audiência com o Dr. Mário Soares, ao tempo Presidente da República, ele levou o assunto ao Eng.º Ferreira do Amaral, Ministro das Obras Públicas. A partir daí foi só o silêncio de muitos dias. Não desisti, pedi uma audiência ao ministro, que me comunicou que teria de esperar por um parecer do gabinete de construção responsável pela ponte, nos Estados Unidos, para saber se a estrutura aguentava com uma prova destas. Sem isso, nada feito! Pensei que não havia vontade política e lamentei-me disso mesmo, mas não desisti, e a insistência foi tanta, que o ministro acabou por me dizer que daria a autorização se eu assumisse a responsabilidade substituindo-me ao parecer solicitado. Obviamente que não assumi. Confesso que o medo foi superior à vontade de avançar. Se o ministro tinha sentido necessidade de pedir um parecer aos técnicos da empresa de Eiffel que a construíra, quem era eu para assumir tamanha responsabilidade?”

“A informação por que tanto ansiava também não tardou: não havia perigo, o tabuleiro aguentava o desafio sem problemas. Montei a equipa numa operação‑relâmpago: Mário Machado, Rafael Marques e Reinaldo Gomes foram as traves‑mestras, outros se foram juntando.”

Depois de aprovada a travessia da ponte, foi tempo de ganhar o apoio do Presidente da Câmara de Lisboa, Dr. Jorge Sampaio. “Foi um porto de abrigo seguro”, recorda Carlos Móia, “percebeu logo a importância que a prova teria para a projecção da cidade, foi um dos que sempre acreditaram nas potencialidades que a Meia Maratona viria a alcançar com o passar dos anos.” E assim foi, Sampaio esteve ligado ao arranque da prova que, anos mais tarde, já Presidente da República, viria a correr.

Foi em 17 de Março de 1991 que começou a história da Meia Maratona de forma oficial, com o Ministro da Educação, que tutelava o desporto, Roberto Carneiro, a fazer parte do grupo de pessoas que primeiro atravessaram a pé a Ponte 25 de Abril.

Localização: 
Distância: 
21.10 km
Data: 
Domingo, 25 Março, 2012 - 09:30