Impacto da EDP Running Wonders 2017

Impacto da EDP Running Wonders 2017

EDP Running Wonders 2017 apresenta impacto superior a 30 milhões de euros

O impacto mediático do circuito EDP Running Wonders edição 2017 – Meias Maratonas em Patrimónios Mundiais, realizado em sete regiões de Portugal (Douro Vinhateiro, Guimarães, Dão, Coimbra, Évora, Guarda e Castelo Branco) entre março e novembro, revela um elevado aumento do interesse dos portugueses nesta ação.

Segundo estudo apresentado pela multinacional Cision, o impacto financeiro mediático foi de 11,3 milhões de euros gerado através da presença nos diferentes órgãos de informação, com especial destaque para a cobertura integral pela TVI e TVI24 de todas as sete etapas deste circuito, num formato inovador e direcionado para a valorização dos Territórios e do Património, nomeadamente do Interior.

Este valor corresponde a um aumento de 117% relativamente ao ano anterior, o que demonstra o notável crescimento deste projeto a nível nacional, que vai apenas na sua quarta edição. O estudo foi encomendado à Cision pela GlobalSport, empresa criadora e organizadora do evento, e foi realizado entre janeiro e dezembro do presente ano para avaliar o potencial mediático do circuito EDP Running Wonders.

A GlobalSport destaca também o impacto económico direto, segundo estudo organizacional interno, com um valor que ultrapassa os 20 milhões de euros de impacto nacional ao longo de todo o ano, considerando todos os gastos diretos e indiretos que os mais de 58 mil participantes provenientes de quarenta países realizaram ao longo das sete etapas, entre transportes, alojamento, alimentação, saúde, visitas turísticas e acessórios para a prática desportiva.

Alguns dados são muito interessantes, relevando que 62% dos participantes são homens e 38% mulheres, 78% têm idades compreendidas entre os 25 e os 50 anos, sendo que 67% são não residentes e pernoitam nas cidades sede. No que respeita à dimensão dos hábitos de prática desportiva dos participantes, 47% referiu uma frequência semanal de prática desportiva de 3-5 vezes e 73% dizem ser participantes assíduos deste tipo de eventos.

Um projeto que nasceu no Douro Vinhateiro e que hoje decorre em sete lugares de reconhecido valor histórico e patrimonial, anunciando para 2018 muitas e apelativas novidades, com novos destinos e novas ações paralelas, afirmando-se cada vez mais como o maior projeto de Turismo Ativo em Portugal.